InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Wladis Strachan

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Wladis Strachan

avatar

Localização : Rússia
Idade : 32
Mensagens : 2319
Player : Nyna

MensagemAssunto: Wladis Strachan   Dom Set 03, 2017 7:12 pm

DADOS BÁSICOS
    Nome completo: Wladis Strachan
    Local de nascimento: Bremerhaven, Alemanha
    Data de nascimento: 17/08/1986
    Raça: Sangue-Puro
    Patrono: Um lobo-cinzento
    Bicho-papão: Wladis vê a si mesmo, mas sem poderes mágicos - tendo que viver como um trouxa ou um aborto.
    Varinha: Choupo-tremedor e saliva de Elfo-da-Bavária, 14 polegadas e meia, inflexível


BIOGRAFIA
    Infância
      Wladis nasceu em Bremerhaven, Alemanha, em 17 de agosto de 1986, filho de Muphrid e Gisela Strachan. Os Strachan são uma antiga família de bruxos sangue-puro, respeitados no ramo da importação e exportação de artefatos mágicos. Wladis teve uma infância confortável, sem nada que lhe faltasse. Seus pais eram um pouco ausentes, e viviam às voltas com o trabalho, viagens e negociações com compradores, mas estavam sempre atentos à educação, às necessidades e às vontades do filho, que desde cedo teve aulas de diversos temas (noções de política, economia e história bruxa; idiomas; atividades físicas; além das disciplinas básicas, como gramática e matemática) com professores particulares muito competentes; e em geral tinha todos os desejos, materiais ou não, prontamente atendidos. Os professores elogiavam a inteligência de Wladis e seu interesse pelos assuntos ligados à magia, mas por vezes reclamavam de sua indisciplina. Wladis sempre teve, de fato, um problema com questões de regras e autoridade: não há e nunca houve nada que o irrite mais do que ter que seguir ordens, ter suas vontades questionadas ou não atendidas, ou ter que seguir horários e rotinas rígidas. Talvez por isso, Wladis nunca reclamou da ausência dos pais, e até gostava bastante de ficar sozinho em casa com os empregados, dando ordens e fazendo seus próprios horários. Entre as crianças da vizinhança e os filhos dos amigos de seus pais, Wladis era bastante popular: conquistava seguidores com seu jeito expansivo e confiante, e em geral propunha os planos e brincadeiras que eram aceitos e seguidos por todos. Às vezes podia se mostrar um tanto encrenqueiro: se irritava com facilidade e mais de uma vez brigou aos socos com conhecidos com quem se desentendeu por algum motivo. Seu primeiro sinal de magia surgiu bastante cedo, aos quatro anos de idade, quando Wladis se irritou com um brinquedo que não funcionava e o fez explodir sem nem tocá-lo - a partir daí, era comum que Wladis manifestasse seus poderes mágicos com certa frequência.


    Vida escolar
      • Escola: Durmstrang
      • Casa: Völsunga

      Aos onze anos de idade, Wladis foi estudar em Durmstrang, sendo aceito na casa Völsunga. Nunca chegou a ganhar uma Dragão Branco por ter boas notas, mas certamente tinha inteligência para isso e teria conseguido se tivesse vontade: entendia com facilidade o que os professores passavam e se saía muito bem nas matérias práticas; mas não tinha paciência para passar horas estudando ou lendo livros. Era um destaque absoluto na aula de Duelo, tornando-se praticamente imbatível a partir do quinto ano, e também tinha excelentes notas em Artes das Trevas, tema pelo qual sempre se interessou muito. Seu problema, como sempre, não eram as notas, e sim a indisciplina: Wladis achava uma besteira aquele rigor da escola em relação à aparência, vivia levando advertências por estar com os cabelos muito longos ou o uniforme desalinhado, tinha problemas em acordar cedo e, por muitas e muitas vezes, levou detenções por ter se envolvido em brigas. Wladis sempre teve um orgulho visivelmente exagerado de seu sangue puro e um desprezo muito mal disfarçado pelos mestiços ou nascidos trouxas - apesar de não ter sido criado pelos pais com essa visão -, e essa postura só parecia se acentuar conforme os anos passavam. Wladis implicava gratuitamente com os alunos da Nibelung, lhes pregava peças, os empurrava nos corredores, inventava apelidos, desaparecia com seus pertences, provocava brigas, batia nos meninos, fazia comentários grosseiros sobre as meninas. Mesmo alguns de seus colegas da Vöslunga e as alunas da Valkyrie pareciam achar seu comportamento muito extremo, e mais de um parecia temê-lo como se pudesse virar alvo de suas agressões; mas outros o apoiavam de forma velada, não fazendo nada para impedir suas ações. Na adolescência, Wladis era uma figura bastante controversa: ninguém se assumia como seu amigo próximo, e ele nem parecia fazer questão de ter amigos; mas por outro lado todos o conheciam e reconheciam como uma espécie de liderança - mais de uma vez Wladis chegou a ganhar a Fênix Negra por ter sido o melhor Chefe de Turma. Os alunos mais próximos de Wladis eram Ingel Eloy Kassa e Rurik Zavarov - os três pareceram se aproximar justamente por não serem realmente amigos de mais ninguém: Ingel era um adolescente quieto, introspectivo, muito inteligente, mas considerado estranho pelos outros, meio 'sinistro' ou 'assustador', com um interesse exótico por métodos de tortura e feitiços proibidos; e Rurik, membro de uma família importante e influente, não hesitava em esnobar os outros e abusar do peso de seu sobrenome para conseguir o que queria.

      Mesmo Wladis sendo uma figura tão polêmica, ninguém esperava o que aconteceu no início de seu sétimo ano na escola: Wladis se envolveu em uma briga tão feia com um aluno da Nibelung que, usando magia e força bruta, acabou mandando-o para a ala hospitalar, quase inconsciente. Wladis deu a entender que quem havia começado a briga fora o aluno da Nibelung, mas, quando este se recuperou o suficiente para conseguir depôr, contou uma versão diferente: segundo ele, ele teria ido tirar satisfações com Wladis porque este teria estuprado sua namorada, aluna do sexto ano da Valkyrie. A menina disse que Wladis teria feito isso para puní-la, por ser sangue-puro e estar namorando um 'sangue-ruim'. Wladis negou tudo, mas a história trouxe à tona os depoimentos de mais duas alunas da Valkyrie, do quinto ano, que disseram ter sido estupradas por Wladis no ano anterior, mas que não tinham tido coragem de contar a história a ninguém até agora. Depois de muitas investigações, desconfianças, depoimentos e um julgamento, o pior acabou acontecendo para Wladis: ele foi considerado culpado de todas as acusações, expulso de Durmstrang e teve a varinha partida em pedaços. Indignado, furioso, sem nunca assumir o que fez, Wladis foi embora jurando que os que haviam causado tudo aquilo ainda iam se arrepender. Não quis ficar com as metades de sua varinha e deixou para trás seu uniforme de Durmstrang e as medalhas que havia ganhado lá. Ingel continuou na escola; mas Rurik, que não tinha notas particularmente boas e já pensava há algum tempo em abandonar os estudos, foi atrás dele.


    Adulto
      Wladis não foi expulso apenas da escola: foi expulso da família, que se mostrou extremamente desapontada e chocada não só com o que ele tinha feito, mas principalmente com os motivos que o levaram a fazê-lo. Deserdado e expulso de casa, Wladis fez as malas, pegou uma quantia razoável de dinheiro e caiu no mundo. Mantinha contato ocasional com Ingel, que continuava na escola; e mais frequente com Rurik, cuja família de certa forma era útil aos dois, usando de seu dinheiro e influência para mantê-los e livrá-los das encrencas em que os dois se metiam. Wladis vagou por praticamente toda a Europa, sem destino e sem objetivo, às vezes sozinho, às vezes acompanhado por Rurik, e Ingel também se juntou aos dois quando finalmente se formou. Em pouco menos de dois anos, Wladis já estava praticamente irreconhecível para quem o conhecera na escola: com os cabelos longos, roupas sempre pretas e em um estilo que seus familiares jamais o teriam imaginado vestindo, cheio de tatuagens - sua favorita é uma no abdômen, a palavra 'outlaw' escrita em grandes letras negras. Quando chegou à Rússia, Wladis passou a frequentar o Printsessa Baba Yaga, de onde se tornou um cliente assíduo e onde acabou conhecendo a bruxa responsável por levar novas meninas para trabalhar lá. Wladis e ela conversaram algumas vezes e acabaram descobrindo muitas coisas em comum, incluindo o desprezo por trouxas e mestiços e um espírito um tanto anarquista e avesso às regras. Baba, conhecida por seus amigos e clientes mais próximos como 'Mamma', gostou de Wladis e achou que seu jeito ousado e sua falta de preocupação com tudo e todos podiam ser úteis aos negócios, e acabou convidando-o a ficar na Rússia.

      Wladis aceitou e entrou para o grupo que aliciava garotas em diversos países e as levava para o Printsessa Baba Yaga. Uma das primeiras coisas que fez foi conseguir uma nova varinha, de modo ilegal, e logo já a usava com a mesma habilidade e facilidade com que uma vez usara a antiga. Depois de um tempo, por sugestão e influência de Wladis, Ingel e Rurik também acabaram se juntando aos negócios; e os três formaram uma espécie de gangue à parte, que ao longo dos anos expandiu seus negócios, sempre na ilegalidade, trabalhando principalmente com tráfico de pessoas e de animais raros ou exóticos - mas também com comércio de drogas e venda de proteção. Os três dividem uma grande casa no mundo bruxo subterrâneo da Rússia, mas estão frequentemente viajando, para comprar e vender mercadorias. Depois de alguns anos, uma das meninas do Printsessa Baba Yaga, Kalina Hadjiev, de quem Wladis, Ingel e Rurik gostaram particularmente, passou a viver com eles e trabalhar para a gangue. Kalina é para Wladis meio que o seu conceito de 'mulher ideal' - bonita, silenciosa e submissa; além de saber ajudar nos negócios da gangue e sempre apoiá-lo e torcer por ele no que ele resolve fazer -; e é provavelmente a única pessoa no mundo com quem ele se importa e se preocupa realmente, embora suas ações nem sempre demonstrem isso. Nos últimos anos, Wladis vem treinando Kalina em duelos - porque, no fundo, teme pela segurança dela, principalmente se algo acontecer a ele e aos outros membros da gangue, e quer que ela saiba se defender sozinha. Outro que às vezes dá as caras no QG e ajuda nos negócios da gangue é Nureyev Kassa, tio de Ingel: Nureyev criou Ingel e adora implicar com ele; e Wladis, é claro, se diverte muito com isso, chegando a gostar bastante da companhia de Nureyev - assim como se diverte com a companhia de Rurik, embora jamais vá admitir isso para qualquer um dos dois. Depois de alguns anos, o Printsessa passou às mãos de Mavra Kuznetsov, irmã de Mamma, que por sua vez passou a administrar uma casa parecida, mas onde só trabalham homens. Assim, a gangue passou a negociar também com Mavra; com quem Wladis de certa forma se dá bem: os dois pensam e agem de modo parecido - o que, é verdade, às vezes causa exatamente o efeito oposto. Entre seus outros aliados estão Steinn Hallursson, dono da funerária local, que frequentemente ajuda a gangue a sumir com corpos que poderiam provocar perguntas inconvenientes; Anastácia Woodroffe e Anni-Kaisa Rosier, ex-alunas de Hogwarts que se mudaram para a Rússia e fazem pequenos serviços para a gangue, ligados principalmente ao banco e aos correios; e Georgina von Meickert, que ajuda principalmente Wladis a conseguir informações e roubar pequenos objetos de bruxos importantes ou influentes na Rússia.

      A gangue aos poucos tornou-se bastante conhecida e influente no submundo bruxo, e é frequentemente procurada por criminosos e bruxos das trevas para realizar 'serviços', que variam de transportar cargas ilegais de um país a outro a dar sumiço em pessoas inconvenientes. Nada acontece em Chernaya Dyra Stantsiya, o submundo bruxo russo, sem que Wladis, Ingel e Rurik saibam e autorizem - e o próprio Wladis é uma espécie de líder entre os três, tomando as decisões mais importantes e dando a palavra final sobre a maioria das coisas. Para Wladis, mais que uma forma de viver, a gangue é um meio de se vingar da sociedade bruxa que tentou excluí-lo, e usar dos mestiços e trouxas para seu próprio benefício. Por muitos e muitos anos, Wladis não falou com seus parentes e não procurou saber nada deles - mas, há alguns anos, durante a Copa Mundial de Quadribol realizada no Brasil, em que a gangue viajou para aproveitar a distração do mundo bruxo e fazer seus negócios do outro lado do Atlântico, Wladis ficou sabendo, por acaso, que sua família estava bastante próxima, no Acampamento da Copa. Com a ajuda de Kalina, conseguiu descobrir exatamente onde eles estavam hospedados, e, por pura curiosidade, se aproximar. Wladis conseguiu se aproximar da mãe a ponto de conversar com ela, sem ter sido reconhecido, e descobriu que tem uma irmã mais nova, nascida logo depois de sua saída de casa - e que, claro, acredita ser filha única. Apesar de tudo, Wladis nunca culpou a mãe pelo que aconteceu, então não fez mal a ela, nem à menina - mas, no mesmo dia, encontrou e matou o pai, sem pensar duas vezes. Acabou tendo que matar também um primo, que chegou bem na hora, mas também não hesitou nem um pouco ao precisar fazer isso. Wladis escondeu os corpos de modo que demoraram muito a ser encontrados - e, até agora, apesar de alguns desconfiarem de sua possível participação no caso, a culpa de Wladis não foi confirmada.


APARÊNCIA
    Wladis tem os olhos castanho-escuros, o rosto quadrado, os lábios finos. Seus cabelos são negros, longos, com um corte em um estilo meio punk, raspado nas laterais e mais longo na franja e na parte de trás. Tem pouco mais de 1,80m de altura e a estrutura do corpo proporcional a isso, não sendo muito magro, mas também não exageradamente forte. Seu corpo é coberto por tatuagens, suas unhas estão em geral pintadas de preto, e os olhos são quase sempre circundados por delineador também preto. Usa sempre botas pesadas nos pés, roupas inteiramente negras, geralmente de couro de dragão ou outros animais, muitos anéis, brincos, correntes penduradas no pescoço ou nas vestes. Assim como Ingel e Rurik, criou um visual muito seu e muito característico, para que todos saibam quem é assim que baterem os olhos nele.


PERSONALIDADE
    Wladis é um bom líder, consegue com facilidade tomar as rédeas de uma situação e convencer os outros a seguir suas ordens, e se sente bem e à vontade nesse papel. É expansivo e falante quando está satisfeito com algo, dono de um humor ácido e uma risada alta e estrondosa, mas se irrita com extrema facilidade e demonstra essa irritação de forma explosiva e violenta, discutindo aos berros com os outros, atirando objetos, partindo rapidamente para duelos de magia ou agressões físicas. Não se importa realmente com quase ninguém além de si mesmo; é egoísta, egocêntrico, esnobe, arrogante e agressivo - mas também não se pode negar que seja corajoso, obstinado, confiante, ousado e decidido, não deixando que nada o desvie de seus objetivos e nunca desistindo do que realmente quer. Despreza profundamente todos os trouxas, abortos e mestiços e acredita que eles deveriam ser subjugados à vontade dos bruxos, considerando um absurdo o fato de que no mundo de hoje os bruxos tenham que viver ocultos enquanto os trouxas vivem livres. É mulherengo e machista; trata todas as mulheres como se fossem objetos que só existem para satisfazer suas vontades. Humilha e implica igualmente com aliados e inimigos, sem ligar para o que os outros vão pensar, e não faz a menor questão de agradar aos outros ou ser querido por eles.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Wladis Strachan
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Wizard World  :: OFF :: Personagens :: Fichas-
Ir para: